Durbuy, a menor cidade do mundo!

Na verdade, amigo leitor, Durbuy, na Bélgica, não é mais considerada a menor cidade do mundo, mas era quando a conheci e não aumentou de tamanho. Atualmente, a cidade foi agregada a mais 40 aldeias adjacentes e assim aumentou seu território.
Mas antes de falarmos de Durbuy, preciso dizer porque demorei tanto pra falar dela, já que é um charme de cidade. Na verdade, não é só Durbuy que ficou pra trás. Junto com ela ficaram outras cidades que conheci e sobre as quais resolvi falar agora, por um motivo muito simples: não tenho nenhuma foto, ou registro da minha visita a elas.
E não tenho fotos dessas cidades porque nossa câmera fotográfica foi roubada em Amsterdã, e junto com ela se foram muitas fotos que nunca mais recuperamos ou tivemos a oportunidade para isso.
Foi um episódio muito triste para nós. Não pela câmera, que logo substituímos, mas pelas recordações e imagens que sabíamos que não teríamos mais como recuperar. Perceba, amigo leitor, que junto com nossa câmera foram embora as imagens de Durbuy, Amsterdã, Colônia e Bremen e, destas cidades, apenas em Amsterdã tivemos vontade e oportunidade de voltar e recuperar lindas imagens. Nas outras cidades, não se justificaria voltar somente para fotografar, e já entendíamos isso naquela ocasião. Logo, foi difícil “virar a página” e continuar a viagem. Mas o fizemos! Com otimismo e alegria e, hoje, vou começar a falar para vocês dessas cidades que guardo na memória e no coração, mas vou precisar usar imagens disponíveis na internet para ilustrar ou dar “uma ideia” de como são lindas e que valem à pena!


Voltando a Durbuy, a cidade me despertou a curiosidade quando assisti um documentário na TV com a Glória Maria, sobre topiaria. Sim, isso mesmo, topiaria é a arte de podar as planas em formas ornamentais e o documentário dizia que Durbuy era uma pequena cidade da Bélgica que se destacava na arte. Coincidentemente, estávamos com uma viagem marcada para a região, logo, foi muito fácil ceder à curiosidade e colocar Durbuy na rota.


Uma das coisas mais legais em Durbuy nem é a topiaria, que é interessante, mas a cidade em si, que de tão pequena mais parece uma vila. O charme da cidade são suas ruas de pedra, com casas também em pedras, caminhar por elas e sentir-se em outro mundo. A impressão que você tem é que criaturas misteriosas e mitológicas “espiam” das janelinhas das casas.
Claro que num dia de sol, a cidade não é tão mítica, mas o charme é irresistível.

Nós não dormimos em Durbuy, só conseguimos encaixa-la numa parada do nosso roteiro, mas tivemos oportunidade de almoçar e provar sua deliciosa cerveja. Simmm, a cidade é pequena, mas produz 2 cervejas: durboyse, que na verdade não é produzida na cidade, mas nas redondezas, e a marckloff, essa sim, produzida na vila. As duas são ótimas, como era de se esperar de cervejas belgas.

Sinceramente não lembro o nome da brasserie em que almoçamos, também não existem muitas opções na cidade, mas lembro que comemos e bebemos muito bem se considerarmos que estávamos numa cidadezinha perdida no interior da Bélgica, tida como a menor cidade do mundo.

O jardim das topiarias é muito interessante e fácil de achar. Aliás, não é difícil achar nada em Durbuy. É só você estacionar o carro na entrada da cidade, porque a ruas são tão estreitas que fica difícil e desnecessário andar de carro e ir caminhando e se deliciando. A topiaria criou imagens peculiares e curiosas, na maioria com inspiração infantil que mudam de tempos em tempos.

Os moradores são muito simpáticos e acolhedores e falam vários idiomas (porque estão muito perto da fronteira), então fica fácil você “se virar”.

Holanda. BÉLGICA. Bruxelas. 117 Kms. Alemanha. DURBUY. Luxembourg. França. Som – Clicar para avançar. Alves D.

Lembro que precisei comprar um antiácido e consegui me fazer entender em uma “farmacinha”.

Durbuy tem um castelo que não está aberto a visitas, mas “rende” lindas fotos e é cortada pelo rio Ourthe que, além de proporcionar cenários incríveis, é muito procurado no verão por amantes de esportes radicas.


Durbuy valeu o “desvio de rota”, e aconselho fazê-lo se você está ou estará na região. Lógico que eu, apesar de ter amado a cidade, não diria: viagem por horas pra conhece-la. Mas se você estiver a menos de 1 hora da cidade, vá sem medo, porque tenho certeza que você vai adorar!
Bye!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s