Andaluzia, Olé

id_4282_Flamenco3site[1]

Então vamos finalmente falar da Espanha e mais especificamente da Andaluzia, a região sul da Espanha, onde a Espanha é mais Espanha.  Onde existem muitas praças de toros, danças flamencas, comida boa, calor e principalmente onde a cultura moura é mais presente.
Estive na Andaluzia à muitos anos atrás, em 2003 , e apesar de meus negativos de fotos não estarem mais disponíveis, minha memória daquela região maravilhosa, está intacta, e com muito gosto, divido com vocês.
Se você tem medo de se aventurar por países de língua e comunicação difíceis, a Espanha, além de Portugal, obviamente, é uma ótima opção. E porque a Andaluzia? Porque a região sul da Espanha, é linda, ensolarada e alegre. Também porque é uma região pequena que concentra muitas atrações e você consegue visitar em 5 ou 6 dias alugando um carro (vale a pena). Além de tudo, você vai ver os espanhóis no seu melhor papel: dançando, cantando, discutindo, comendo e uma raridade, sendo muito simpáticos.

flamenco

Barcelona é incrível, mas nem se considera espanhola. Madri é lindíssima, mas é da realeza. Santiago de Compostela é emocionante, mas é dos andarilhos. Já a Andaluzia, ah essa é dos espanhóis e já foi dos mouros, que na verdade foram os grandes responsáveis pela beleza dos monumentos e pela cultura .
Vamos falar deles, para poder entender a região. Mouros ou “Mauros” como diziam os antigos romanos, vinham da região que eles chamavam Mauritânia, e hoje é o norte da África. Eram uma civilização muito desenvolvida que acostumada com o clima quente, aprendeu a construir palácios repletos de lindos arabescos, voltados para um pátio interno, imensamente agradáveis. Eram cultos e estudados, mas eram considerados pelo resto da Europa como bárbaros porque seguiam o islã e falavam árabe. Foram muito perseguidos pelos católicos, em árduas cruzadas, e finalmente expulsos da região. O reinado islâmico na Andaluzia, durou quase 800 anos, e deixou uma rica herança de magníficos palácios e mesquitas que os católicos logo transformaram ( eles dizem consagraram) em catedrais.
Para mim, conhecer a cultura moura foi uma linda surpresa, e mesmo não sendo historiadora, perceber o quanto esse povo considerado bárbaro era culto e desenvolvido, foi uma surpresa.
Bom, já sabemos da história, agora vamos falar da geografia.

sevilha-e-cc3b3rdoba-2010-428
Sevilha é seu primeiro ponto de parada na Andaluzia, mas não existe voo Brasil/ Sevilha, então o melhor caminho é por Madri. De Madri a Sevilha, você pode ir de trem ou avião. São quase 500 Km de uma estrada sem graça (eu percorri), então não vale a pena.
Chegando à Sevilha, você está na Andaluzia, e pode alugar um carro para conhecer melhor a região. Existem muitos atrativos na nela, mas penso que você não pode deixar de ir à Córdoba, Ronda, Granada e a própria Sevilha. O resto, (e tem muito resto) se der tempo, é lucro.

Sevilha

plaza-del-triunfo-seville-spain.jpg.rend.tccom.1280.960

Sevilha é a quarta maior cidade da Espanha com perto de 700 mil habitantes e apesar de não ser pequena, mas seu centro histórico pode ser percorrido à pé, logo você só precisa alugar um carro quando estiver saindo da cidade.
Apesar de ser grande, Sevilha tem um Q de interior. Tem a alma andaluz, tem costumes  históricos seriamente cultivados e você logo se sente “em casa”, assistindo em um show flamenco com as bailarinas torcendo dramaticamente as mãos, ou assistindo um toureiro elegantemente enfrentando um touro na arena, ou numa tasca barulhenta comendo azeitonas gordas e jamón serrano, tudo regado ao perfumado vinho Jerez e aos poucos percebe que não é imaginação. Isso é Sevilha e a alma Andaluz.

20140425_180508_Calle-Alemanes_RichtoneHDR

Procure se hospedar no bairro de Santa Cruz, que é o bairro histórico e onde você pode alcançar a pé, atrações mais interessantes da cidade. Importante também saber que Sevilha é muito quente mas o inverno, mais ameno tem temperaturas ao redor de 6 graus.  Logo as estações mais moderadas como outono ou primavera, são ótimos para você conhecer a região.
Aliás, vamos fazer um parênteses aqui, se você nunca foi à Espanha, precisa saber algumas características no “jeito de ser espanhol” que são importantes:
– A sesta, não é mito.  Os espanhóis param a cidade após o almoço. Simplesmente fecham tudo, e desaparecem. Durante muito tempo, ou muitas horas e só voltam “à ativa” depois de descansados.
-Outra curiosidade interessante, é que quando decidem curtir a noite, o fazem trocando de bar ( tascas), durante a noite toda. Começam comendo tapas (petiscos), no primeiro bar, e vão  trocando, acabando a noite muitos bares depois.
– Os garçons espanhóis não são muito pacientes, então pense bem no que você quer, estude o cardápio antes de chama-lo, caso contrário, ele vai deixa-lo falando com o vácuo. Ele se manda.
-Os hotéis na Espanha, principalmente no sul, costumam não incluir café da manhã na diária e quando incluso, consistem em, uma xícara de café com torradas ou tostadas. Bem simples.
São costumes muito diferentes e parecem engraçados quando se comenta, mas podem dificultar um pouco sua visita se não souber entender.
Mas, vamos voltar para as atrações de Sevilha.

Real Alcázar.

São um conjunto de palácios e jardins, deslumbrantes. Com uma forte influência moura, sua arquitetura encanta não só pela beleza, mas porque você consegue perceber nele a intenção de conforto, equilibrio e segurança. Os mouros sempre construíam palácios fechados por fora, para segurança, e internamente abertos a jardins lúdicos  com canais onde as águas corriam   para refrescar o ambiente. Notável também a sua preferência por laranjeiras, que além de embelezar perfumam todo o ambiente.
Os Reales Alcazáres, como costumam chamar, pois é um complexo turístico, ainda hoje são residência oficial da realeza espanhola, que lá se hospedam quando estão na Andaluzia. Você vai levar uma tarde inteira para visitar com calma e atenção, e pode chegar lá a pé se estiver hospedado no bairro Santa cruz.

Catedral de Sevilha

 Patrimônio histórico da humanidade, a catedral fica à alguns metros do Real Alcazar, e é a maior catedral gótica do mundo. Foi construída no lugar de uma antiga mesquita e até hoje, ocupa um lugar muito importante no coração dos católicos espanhóis. Tem em seu interior os túmulos de figuras ilustres como Cristóvão Colombo, Fernando Colombo, Fernando III de Leão e Castela, Pedro I de Castela entre outros nobres.
A catedral tem um pátio central, como em todas as edificações mouras (Pátio de los Naranjos) repleta de laranjeiras e muita história nas paredes, e tem a Giralda.
La Giralda em castelhano, é um antigo minarete (uma torre) moura, construída para observação e guarda, com espaçosas rampas em espiral, de forma que fosse possível subi-la à cavalo.  Mais tarde transformada em campanário, pelos católicos que apagaram alguns símbolos do Islã e os substituíram por símbolos cristãos, transformando a Giralda em um das maiores atrações de Sevilha. A sua subida é dura, (pode crer), mas vale a vista maravilhosa  que você terá de toda a cidade.

Praça de Touros de Sevilha

fotos_5666_sevilla_la_maestranza_praca_de_touros_de_sevilha

Também chamada de La Maestranza, é uma das maiores da Espanha e é possível alcança-la à pé a partir da catedral, numa pequena caminhada. Mesmo que você, como eu, não seja, fã de touradas, vale a visita. Quanto orgulho e tradição guardam suas areias! Você pode conhecer a capela dos toureiros, a tribuna do rei, as roupas, os troféus e claro a linda arquitetura.

Plaza da Espanha

Essa linda praça que fica no Parque Maria Luísa, foi construída em 1929 para a exposição ibero-americana, e é uma das atrações mais emblemáticas de Sevilha. Cada banco da praça representa uma província espanhola e as quatro pontes que atravessam seu canal, representam os antigos reinos da Espanha.

Torre do Ouro

Sevilla

A torre, construída junto ao rio Quadalquivir, fazia parte do sistema defensivo da cidade. Depois foi usada também como prisão e capela. E  tem esse nome, supostamente por causa do seu reflexo dourado nas águas do rio.
Estas atrações, são imperdíveis em Sevilha, mas não é só isso! Se você puder ficar 3 dias na cidade, vai poder conhecer outras atrações, inclusive algumas muito modernas, mas o importante na cidade, é viver o clima andaluz! Assistir um show de dança flamenca, mesmo que seja clichê, pular de bar em bar saboreando diferentes tapas, descansar a sesta junto com os espanhóis, comprar lindos chapéus e leques, experimentar “o jamón pata negra”, e as diversas paellas.
Sevilha é quente! Em todos os aspectos! Enjoy it!
Querido leitor, vamos ter que dividir a Andaluzia em dois posts. Mas não fique ansioso, a segunda parte já vem na próxima semana, ok?
Bye!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s