Giverny

Da série Lugares Diferentes: Giverny e os Jardins de Monet

DSC00854

Se você está ou vai à Paris, e tem um dia livre no programa, pode ser uma boa ideia ir a Giverny. Uma boa não, uma ótima ideia, porque Giverny é uma pequena cidade do interior da França, na verdade uma vila, onde o pintor Claude Monet viveu, mais precisamente em uma casa maravilhosa, com jardins deslumbrantes que serviram de inspiração para seus quadros impressionistas famosos.
A casa e os jardins permanecem abertas diariamente de início de abril ao final de outubro e a melhor época para visita-los é em maio, no auge da primavera quando os jardins explodem em cores e fragrâncias, mas o passeio vale a pena durante toda a temporada de funcionamento.
Como chegar:  Giverny fica a cerca de 70 km de Paris e para chegar lá, você vai precisar tomar um trem e depois um ônibus de percurso curto. O trem você pega na Gare Saint Lazare, em Paris. Independentemente de onde você estiver hospedado, se você está em Paris, já aprendeu a usar o metro- que é muito fácil- então você pode usar as linhas 3, 12, 13 ou 14. Todas levam ou passam pela St Lazare.

estac3a7c3a3o-saint-lazare

A estação é lindíssima, chegue um pouco antes da hora para poder visita-la e comprar os bilhetes com calma, além do mais, comprar em francês, não é muito fácil.
Compre o bilhete para Vermon, que é a cidade mais próxima de Giverny, na bilheteria da Grandes Lignes, em 3 horários disponíveis: 8:20, 10:20 ou 12:20.
Aconselho o primeiro horário, pois você chegando bem cedo, evita filas enormes e consegue visitar os jardins ainda vazios sem muitos turistas, podendo caprichar nas fotos.
Para achar a plataforma de embarque, ainda na St Lazare, procure a que se destina a Rouen, que é o destino final do trem e não esqueça de validar seu bilhete ( se foi comprado pele internet) na maquininha amarela ao lado do trem, antes de embarcar.
Quando chegar a Vermon, é só acompanhar o fluxo de turistas. Você pode ir a Giverny de duas formas: de ônibus que já vai estar esperando da estação e você paga para o motorista, ou alugar uma bike, são somente 7 km até Giverny.

Chegando em Giverny, a melhor ideia é visitar primeiro a casa de Monet, como já mencionei, tem sempre muitos turistas lá o que costuma formar filas enormes. Se você preferir, pode comprar os bilhetes pela internet na bilheteria on line da Fundação Monet, e se adiantar, e uma vez entrando, aproveitar os jardins ainda vazios.

São lindos, exuberantes, coloridos, misturados sem muita ordem ou sincronia. Emocionante você ver ao vivo a ponte japonesa nos jardins das águas, as ninfeias, os chorões, enfim tudo que compõem o jardim que inspirou o artista.
Depois, você pode se dedicar a casa de Monet, descobrindo como ele vivia e visitando o atelier com cópias das suas obras criadas à partir do jardim que você acabou de conhecer. Emocionante!

Na saída, tem uma lojinha que é um achado com souvenires de muito bom gosto. Aproveite para trazer presentinhos elegantes.
Saindo da Fundação Monet, você pode aproveitar para conhecer Giverny, uma Village, cheinha de restaurantes legais, que servem comida normanda, e onde é possível fazer uma refeição barata e deliciosa.
A volta é muito simples, pois no ponto final do ônibus, você pode ver os horários de volta. Os ônibus estão coordenados com os trens que vem de Rouen e levam à Paris. Escolha sua hora, essa é minha dica de Giverny. Faça a visita no seu tempo e ritmo. Aproveite o passeio para curtir toda a beleza disponível e permita-se emocionar!
Au revoir!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários sobre “Giverny

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s